Na última terça-feira (10), um homem passou mal e não conseguiu atendimento hospitalar de imediato. Ironicamente, na aberta em que o feito resultou, o homem aparecia em frente a um posto de saúde. Os funcionários do posto em discórdia estavam em frente à elemento de saúde e não prestaram auxílio a ele.

Também sobre a situação descrita, é válido nomear que o homem convulsionava e apresentava alguns ferimentos no momento em que tudo resultou. Porém, mesmo perante de um perspectiva como este, ele apenas conseguiu atendimento alguns minutos em seguida que as convulsões tiveram início, o que seria capaz ser danoso.

O atendimento resultou graças a alguns moradores do local, que presenciaram a acontecimento e acionaram o Serviço de Atendimento Levadiço de Necessidade (Samu).

O caso em discórdia resultou na município de Lauro de Freitas, localizada no interior do estado da Bahia. De acordo com informações obtidas por meio da Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas (Sesa), fornecidas na última quarta-feira (11), o atendimento por parte dos funcionários do posto de saúde não resultou devido a algumas regras.

Nesse intuito, é possível enfatizar que o atendimento de pacientes que estão em vias públicas, bem como em residências e em seus locais de trabalho apenas pode ser executado por unidades móveis. Dessa forma, os funcionários não poderiam realizar nada pelo homem e era preciso aguardar pela aparecimento do Samu para que o auxílio fosse prestado.

Além das informações destacadas, também foi informado pela Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas que o homem foi socorrido e sucessivamente foi endereçado para o Hospital Maior parte Menandro de Faria.

Apesar de que o atendimento tenha levado alguns minutos, de acordo com a Sesa, nos dias de hoje o quadro do paciente pode ser percorrido como estável. Porém, ele também está internado na elemento de saúde para qual foi endereçado pelos socorristas do Samu.